História do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense

Futebol Porto-Alegrense

 

        Grêmio: associação ou união de um grupo de pessoas em torno de um mesmo ideal ou objetivo.

 

        No início do século XX, o futebol vinha aos poucos se tornando conhecido no país, semeado por viajantes que levavam a novas fronteiras, suas rudimentares e valiosas bolas de couro. Foi justamente um destes desbravadores, o paulista Cândido Dias da Silva, quem apresentou a primeira bola de futebol a Porto Alegre. A novidade logo despertou curiosidade e uma turma de amigos se formou em sua volta. Muitos fins de semana se estenderam na convivência daquele grupo, em piqueniques e na prática empírica do esporte.
        Até que, no feriado de 7 de setembro de 1903, dois quadros de atletas do Sport Clube Rio Grande (cidade portuária e, não por acaso, o clube mais antigo do Brasil) vieram à cidade para uma demonstração, uma ótima oportunidade para os porto-alegrenses aprenderem mais sobre o esporte. O público lotou o campo improvisado para a apresentação e vibrava com as jogadas. Até que, para decepção geral, a bola murchou. Quando todos pensavam que a festa estava terminada, Cândido ofereceu sua bola para que a partida terminasse. Após o jogo, ele e o grupo de amigos puderam confraternizar com os jogadores, que lhe explicaram detalhes do esporte e principalmente, o que era necessário para fundar um clube.
        Entusiasmados com o que haviam aprendido, uma semana depois, ao entardecer do dia 15 de setembro de 1903, 31 rapazes se reuniram em um restaurante no centro da capital e escreveram a ata de fundação, que depois seria assinada por todos os presentes. Naquele momento, iniciou-se a trajetória de um clube vencedor. Carlos Luiz Bohrer foi eleito o primeiro Presidente, sem imaginar a projeção que o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense alcançaria.

 

Os tempos do amadorismo

 

        Em 6 de março de 1904, foi marcado o primeiro desafio, contra o Fuss-Ball Club Porto Alegre – então, o único outro clube da cidade, fundado exatamente na mesma data. Predestinado, o Grêmio venceu. Os jornais registraram aquele disputado 1x0, que deu início à conquista do primeiro troféu da história Tricolor, o Wanderpreis. Ainda no mesmo ano, o clube adquiriu seu primeiro campo, a Baixada dos Moinhos de Vento. A partir de então, a equipe tricolor teria lugar próprio par treinar e jogar. O estádio seria utilizado nos 50 anos seguintes, passando por várias transformações na sua estrutura, agregando pavilhões e arquibancadas, conforme sua torcida aumentava e o time ganhava fama nacional e internacional. Ali o Grêmio jogou e venceu a maioria dos seu jogos e acumulou taças, o que levou sua casa a ser apelidada de “Fortim da Baixada”. No dia 18 de julho de 1909, aconteceu o primeiro jogo contra o Sport Clube Internacional e o resultado desta partida histórica foi um extraordinário 10x0, para o Tricolor. Anos depois, a rivalidade tornaria este confronto o maior clássico do futebol brasileiro, o Gre-Nal.
        Foi a partir dos anos 10, que o clube começou a jogar contra equipes de outros estados e países, com destaque especial para a vitória sobre a Seleção da Federação Desportiva Uruguaia por 2x1, em 1916. Neste período, com vitórias importantes contra equipes de fora do Rio Grande do Sul, o nome do clube passou a ser reconhecido como grande adversário.
        É desta era que vem três dos nomes da história do Clube: Eurico Lara, Luiz Carvalho e Oswaldo Rolla (o Foguinho). Luiz Carvalho foi um dos maiores artilheiros gremistas, chegando à presidência do clube em 1974. Foguinho depois de liderar a equipe em campo durante os anos do amadorismo, foi o técnico que definiu o estilo gremista de futebol, na década de 50. Eurico Lara, foi um atleta tão identificado com o clube, que seu nome está no seu hino. Goleiro, ele é o jogador que defendeu as cores do Grêmio por mais tempo, sagrando-se campeão por 16 vezes em 16 temporadas. Graças aos seus elevados dotes morais e técnicos, Lara é tido como jogador símbolo do clube, uma verdadeira lenda.
        Seu último episódio retrata bem seu significado. Em setembro de 1935, o Grêmio se preparava para a decisão do Campeonato Farroupilha, onde precisava vencer o Internacional para levar o título. O troféu era muito valorizado, pois comemorava o centenário da Revolução Farroupilhha. Lara já vinha doente do coração há algum tempo, e havia recebido ordem dos médicos para não mais atuar. Decidido, ele entrou em campo. Foi uma de suas maiores atuações, mas no intervalo ele não suportou mais as dores e teve de sair. Mesmo assim, ele ficou para assistir a vitória por 2 a 0, gols de Foguinho e ,bem no finzinho. Mas na hora de comemorar, saiu rápido para o hospital. Dois meses depois, seu enterro parou Porto Alegre e o atleta entrou para sempre na história do Grêmio e no coração de quem teve o prazer de vê-lo atuar.

 

A transformação do clube até o Olímpico Monumental

 

        Os anos 40 representaram um período de transição, por conta da profissionalização do futebol brasileiro. O Grêmio, muito ligado aos ideais do amadorismo, demorou a se adaptar ao novo contexto do esporte. Foi durante a presidência de Saturnino Vanzelotti, entre 1948 e 1954, que ocorreram as transformações fundamentais para a continuidade do clube. Ainda no primeiro ano de sua gestão, em 1949, o Grêmio reconquistou a hegemonia no futebol regional, além de levar a equipe a sua primeira grande excursão ao exterior. O clube voltou a colocar seu nome em destaque, ao bater o poderoso Nacional de Montevidéu (base da Seleção Uruguaia campeã de 1950), por 3x1, durante os festejos dos 50 anos da equipe uruguaia. Seguindo o exemplo dos hermanos, o tricolor seria o primeiro clube de fora do Rio a jogar e vencer no Maracanã recém inaugurado, com um 3x1 sobre o Flamengo, em 1950.
        Neste período, excursões ao exterior projetaram de forma marcante o nome do Grêmio, em meio ao processo de internacionalização do futebol. O caminho foi aberto por uma excursão invicta à América Central, em 1949. Em 1953 e 1954, o Grêmio repetiu o sucesso em suas visitas pelo México, Equador e Colômbia, completando o que foi chamado “a conquista das três Américas”.
        As exigências do profissio